Va al Ejemplar actual
PNUMAPNUD
Edición Impresa
MEDIOAMBIENTE Y DESARROLLO
 
Inter Press Service
Buscar Archivo de ejemplares Audio
 
Home Page
Ejemplar actual
Reportajes
  Análisis
  Grandes Plumas
  Acentos
  Entrevista y P&R
  Ecobreves
  ¿Lo sabías?
  Tú puedes
  Libros
  Galería
Ediciones especiales
Gente de Tierramérica
  ¿Quiénes somos?
Geojuvenil
Espacio de debate hecho por jóvenes y para Jóvenes
Geojuvenil
 
Cambio Climático
Proyecto de soporte a negociación ambiental

Cambio Climático

  Inter Press Service
Principal fuente de información
sobre temas globales de seguridad humana
  PNUD
Programa de las Naciones Unidas para el Desarrollo
  PNUMA
Programa de las Naciones Unidas para el Medio Ambiente
 
Ecobreves

 
 

Mais navios radioativos

Buenos Aires - A organização Greenpeace afirma que é iminente a partida, da França para o Japão, de dois navios carregados de plutônio, que fariam a rota do Cabo Horn para chegar ao seu destino, tal como fez o Pacific Swan, que transportava 192 cilindros contendo resíduos radioativos.

Os navios Pacific Pintail e Pacific Teal poderiam optar por essa rota austral da América do Sul, animados pela passividade das autoridades argentinas, que permitiram que navio britânico transitasse por suas águas jurisdicionais, há algumas semanas. O Greenpeace calcula que os dois navios transportarão um total de 230 quilos de plutônio, suficientes para construir 40 bombas atômicas. As embarcações estão equipadas com canhões e têm a bordo pessoal militar.

 
 

Apoio aos u'wa

Santafé de Bogotá - Ambientalistas italianos deram seu apoio aos indígenas u'wa, da Colômbia, que lutam contra a companhia Occidental Petroleum pela "defesa de seu território e sua cultura".

"A causa dos u'wa é um exemplo de dignidade que merece ser apoiado pela comunidade internacional, e nós faremos pressão no Parlamento Europeu", afirmaram os ambientalistas liderados pela presidente da Federação Italiana dos Verdes, Grazia Francescote, que no dia 20 de janeiro encerraram uma visita à Colômbia. Os u'wa opõem-se à exploração do poço petrolífero Giraltar, iniciada em novembro no Bloco Samoré, região que consideram seu território.

 
 

Foro anti-Davos

Rio de Janeiro - Como construir cidades sustentáveis, este será o tema de um dos 16 painéis do primeiro Foro Social Mundial, que acontece, até o dia 30 de janeiro, na cidade de Porto Alegre.

Convocado em resposta ao Foro Econômico Mundial de Davos, na Suíça, o encontro reúne organizações sociais e personalidades de todos os continentes, entre elas o prêmio Nobel de Literatura José Saramago, o religioso Leonardo Boff e o político da centro-esquerda mexicana Cuauhtémoc Cárdenas. Previsto para acontecer todos os anos, o encontro na capital gaúcha discutirá, entre outros temas ambientais, a solução dos problemas acumulados nas cidades, como pobreza, violência e poluição do ar, da água e do solo.

 
 

Fox prepara cruzada

México - O governo do México iniciará em março uma "cruzada" em favor do meio ambiente, durante a qual anunciará medidas e programas especiais e reconhecerá que o país enfrenta dramáticos problemas ecológicos.

A cruzada será a ponta-de-lança das ações que a administração de Vicente Fox desenvolverá nos próximos seis anos em matéria ambiental e que, segundo funcionários do governo, incluirá todas as áreas oficiais. O México ficará sem florestas em menos de um século se o desmatamento continuar no ritmo atual de 700 mil hectares por ano, segundo diversos estudos. Além disso, todos os rios estão poluídos, a erosão está presente em 80% do território, 28% dos vertebrados estão em perigo de extinção e apenas 6,3% da superfície do país é protegida por alguma lei.


*Fonte: Inter Press Service.



Copyright © 2001 Tierramérica. Todos los Derechos Reservados

 
     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Río Copalita, Huatulco, México/Claudio Contreras
  Río Copalita, Huatulco, México/Claudio Contreras