Va al Ejemplar actual
PNUMAPNUD
Edición Impresa
MEDIOAMBIENTE Y DESARROLLO
 
Inter Press Service
Buscar Archivo de ejemplares Audio
 
  Home Page
  Ejemplar actual
  Reportajes
  Análisis
  Acentos
  Ecobreves
  Libros
  Galería
  Ediciones especiales
  Gente de Tierramérica
                Grandes
              Plumas
   Diálogos
 
Protocolo de Kyoto
 
Especial de Mesoamérica
 
Especial de Agua de Tierramérica
  ¿Quiénes somos?
 
Galería de fotos
  Inter Press Service
Principal fuente de información
sobre temas globales de seguridad humana
  PNUD
Programa de las Naciones Unidas para el Desarrollo
  PNUMA
Programa de las Naciones Unidas para el Medio Ambiente
 
Ecobreves

 
 

CUBA: Alerta sobre erosão

HAVANA - Quase a metade das terras cultiváveis de Cuba está afetada pela erosão e apenas 23,2% das áreas agrícolas são produtivas, segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. Os estudos indicam que 14,1% dos solos cultiváveis têm alto grau de salinidade e que uma extensão semelhante é pedregosa e rochosa. A degradação acontece, entre outros motivos, pelo desmatamento, uso de métodos de irrigação inadequados e a eliminação dos cursos naturais de drenagem das águas. Para minimizar o problema, o governo deu luz verde a um programa nacional para a reabilitação dos solos, com apoio das Nações Unidas.

 
 

BOGOTÁ: Pedido controle do glifosfato

SANTAFÉ DE BOGOTÁ - O Ministério do Meio Ambiente da Colômbia pediu à Direção Nacional de Entorpecentes (DNE) medidas para "minimizar e/ou compensar” os efeitos secundários do herbicida glifosfato, usado para erradicação de cultivos ilegais de drogas que ocupam cerca de 160 mil hectares. O plano de manejo da DNE é ambíguo, pois não permite determinar de maneira precisa os ecossistemas estratégicos submetidos à fumigação, nem estabelece com clareza o impacto ambiental do programa, advertiu o Ministério. As organizações ecologistas garantem que o glifosfato - usado na agressiva campanha de erradicação do governo de Andrés Pastrana - tem um efeito devastador sobre a flora e a fauna e que destrói plantações legais.

 
 

MÉXICO: Duas vitórias

MÉXICO - O Greenpeace felicitou o governo do México por opor-se à caça de baleias e por frear a tentativa da multinacional Dupont de patentear na Europa uma espécie de milho de características semelhantes às do milho local. O secretário de Meio Ambiente, Victor Lichtinger, “está ouvindo as organizações, recebe-as e busca soluções”, disse ao Terramérica Cecilia Navarro, porta-voz do Greenpeace no México. A organização ambientalista havia advertido que o governo mexicano tomaria decisões contrárias nos dois casos. Entretanto, o governo objetou junto ao Escritório Europeu de Patentes o reconhecimento obtido pela Dupont e informou que votará pela proibição da caça às baleias na reunião de julho, em Londres, da Comissão Baleeira Internacional. “Ganhamos”, afirmou o Greenpeace.

 
 

EQUADOR: Um dia sem poluição

QUITO - A poluição causada pelos automóveis diminuiu no dia 10 de junho para um terço no centro histórico da capital equatoriana, aberta somente aos pedestres aos domingos. A proibição do tráfego de veículos faz parte de um plano de reabilitação social e ambiental do centro de Quito, declarado patrimônio da humanidade pela Unesco. “O centro está reivindicando a si mesmo, com a participação dos cidadãos através dos programas de recuperação dos espaços públicos”, disse Lourdes Rodriguez, administradora municipal da zona central da cidade.



* Fonte: Inter Press Service.


Copyright © 2001 Tierramérica. Todos los Derechos Reservados